sexta-feira, 8 de março de 2013

DIA INTERNACIONAL DA MULHER



... Mulher é mesmo interessante, mesmo brava é linda, mesmo alegre, chora, mesmo timida, comemora, mesmo apaixonada, ignora, mesmo frágil é poderosa . . .


domingo, 3 de março de 2013

DEPENDÊNCIA AFETIVA





Assim como o dependente químico, cujo organismo se desestrutura quando lhe é retirada a droga, o equilíbrio emocional do dependente afetivo entra em colapso quando ele é afastado da pessoa de quem se tornou dependente.
A separação, por abandono ou por morte do ser amado, tira-lhe o chão e faz com que ele perca toda a base onde apoiava sua vida.
Como se estrutura a dependência afetiva?
Na base desse transtorno está uma profunda carência afetiva, uma falta de nutrição emocional que se originou em sua história de vida. Pais ausentes, pais negligentes, ou aqueles excessivamente rígidos e incapazes de demonstrar afeto, estão geralmente presentes na história do dependente afetivo.
Todos nós aprendemos desde muito cedo, que dependemos de nossos pais (verdadeiros ou simbólicos) para que tenhamos atendidas nossas necessidades básicas. Esse reconhecimento nos leva a perceber precocemente o quanto nossos comportamentos geram uma reação, seja positiva (de estímulo) ou negativa (de punição), por parte daqueles que amamos e dos quais somos dependentes.
Com o passar do tempo, se tivermos um desenvolvimento adequado de nossa auto-estima e autoconfiança, essa dependência irá se diluindo, e passaremos a estabelecer relações onde possamos ter reconhecido o respeito à nossa individualidade.
Quando isto não ocorre, o desenvolvimento emocional se dá de forma desequilibrada e a pessoa seguirá pela vida estabelecendo relações afetivas onde predominam a insegurança e a dependência.
Ela passará a condicionar seu comportamento sempre de modo a obter a aprovação daquele a quem quer agradar. Nos casos extremos, vemos pessoas submetendo-se a humilhações, abusos, explorações e toda sorte de desrespeito, simplesmente para garantir que o ser amado não as abandone.

Assim como o único caminho para a cura da dependência química é reconhecer que se trata de uma doença, para o dependente afetivo também é essencial reconhecer que sofre de um transtorno emocional grave, que pode lhe trazer muito sofrimento.
O segundo passo é buscar ajuda, pois sozinho dificilmente alguém consegue vencer o problema. A força de vontade e o desejo de superar o problema são fundamentais neste processo. Sem eles, nada poderá ser alcançado.
Reconhecer suas qualidades e talentos, sem necessitar do aval do outro para sentir-se alguém especial, é a meta a ser alcançada. A partir do momento em que estabelecemos claramente quais os valores e princípios que queremos ver respeitados em nós, não mais permitiremos qualquer forma de abuso ou desrespeito por quem quer que seja.
Amar-se e desejar para si sempre o melhor, é a única forma de evitar que a dependência afetiva o torne refém daquele a quem você julga amar. Muitas vezes aquilo que acreditamos ser amor, não passa de medo da solidão e de nossa incapacidade de sermos nossos próprios nutridores emocionais.

Quanto maior for nossa capacidade de vivermos bem sozinhos, mais preparados estaremos para a convivência com o outro.

REFLITA


NOSSOS DIREITOS


NÃO É?


PARA REFLETIR...


O QUE É NATUROPATIA?



O termo naturopatia surgiu da junção das palavras Naturo (Natural) e Patia (entende-se “tratamento de desarmonias”). A naturopatia engloba um conjunto de saberes e técnicas que se referem às práticas naturais de tratamento e harmonização corporal através de recursos da natureza, da ecologia, as terapias orientais e ocidentais com o objetivo de prevenir, manter, promover e recuperar a saúde, o bem estar e a qualidade de vida.
A Naturopatia não surgiu das técnicas ou conceitos, ela advém dos antigos métodos Gregos, adotados por Hipócrates, Galeno e Avicena. Tal medicina foi crescente no século XVII, com o nome de Vitalismo. Derivados desta filosofia surgiram várias terapias que comprovaram a eficiência do Vitalismo. Na virada do século XVIII o Vitalismo começa a sofrer embates com a medicina Alopata que florescia na Europa. Diversas terapias foram ficando a margem da medicina convencional, entrando em extinção enquanto que outras, simplesmente fixaram as terapias naturais.
A Homeopatia, terapia revolucionária defendida por Samuel Hanneman (terapia dos semelhantes) desenvolveu um escopo de teoremas afirmando e comprovando a eficácia da Vix Medicatrix Naturae de Hipócrates, entretanto, a medicina vigente não aceitava tal terapia. Mais tarde alguns médicos e cientistas da Alemanha, Áustria, Polônia defenderam a homeopatia como ciência médica, onde sua filosofia trazia raízes dos antepassados médicos e comprovava a existência de uma força no organismo humano até então, 1860 não conhecida.
Logo em seguida após 1860, a Apotherapia ressurge com Ambrósio Paré e passa a ser aceita com P.H.Ling em 1813 que troca o nome para Massoterapia ou sistema Sueco de Massagem Médica. A Massoterapia desenvolvida em Estocolmo Suécia, era uma inovação, diferente de tudo que os vitalistas tinham visto nos anos de 1820-1890. O método de Ling apesar de ser observado que promovia modificações fisiológicas que também até então 1820, não eram compreendidas passaram a ser estudadas por Dr.Mazger em 1860,que passou a levar a massoterapia para a medicina, entretanto, outro grupo, seguidor de P.H.Ling leva a massagem para os Naturopatas ou vitalistas. Tais homens como Boris Chaitow, Stanley Lief e John Cyriax e Bhraun. Iriam elevar a massagem científica à frente e com a visão naturopata.
Em meados dos anos de 1920 os naturopatas ressurgem, mas com uma nova proposta, trabalhando com ferramentas sofisticadas trazendo os conceitos vitalistas e unificando técnicas. Alguns Quiropraticos denominados de puristas como John McTimoney agrega os valores da naturopatia ,defendidos por D.D.Palmer (criador da Quiropraxia ).A Naturopatia tem consciência de que para o indivíduo sentir-se bem e estar plenamente saudável não basta apenas à ausência de sintomas e realizar os exames normais, mas sim um equilíbrio entre: Corpo, Mente e Emoções.
Em Naturopatia o princípio e a crença do poder inato, força vital ou ainda energia sistêmica é fundamental ,pois todos os métodos funcionam nesta perspectiva. Acredita-se que o corpo é capaz de enfrentar e se recuperar de alguma doença, graças a homeostase, que é a tendência natural do organismo de se auto equilibrar. O poder de cura da natureza é auto organizado, inteligente e inerente aos seres vivos e os recursos da Naturopatia auxiliam nesse processo de volta ao equilíbrio.

UNIÃO ENTRE PESSOAS DO MESMO SEXO



Também conhecidos como:Casamento igualitário, ou casamento entre homossexuais, ou casamento homoafetivo.

São Paulo – A partir de amanhã (1º), os casamentos entre pessoas do mesmo sexo passarão a ter igualdade nos procedimentos em relação aos casamentos heterossexuais nos cartórios paulistas. “Até hoje (28) os casais deveriam apresentar o pedido de habilitação do casamento e esse pedido era encaminhado ao juiz corregedor permanente. A partir de amanhã (1°), não existe mais essa necessidade”, explicou o presidente da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen-SP), Luis Carlos Vendramin Junior.
Desde que o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu, em 2011, equivalência  das uniões entre homossexuais e heterossexuais para a formação de uma família, alguns cartórios aceitaram fazer casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Não havia, porém, uma regulamentação dos procedimentos.
“O que ocorria até hoje em vários municípios [de São Paulo], em várias comarcas, é que não existia um posicionamento único. Existiam vários posicionamentos, uns que autorizavam, outros que não autorizavam”, diz Vendramin. O primeiro casamento civil entre pessoas do mesmo sexo no Brasil foi celebrado em junho de 2011, na cidade de Jacareí (SP).
Os casos que eram recusados pelos cartórios precisavam da aprovação da Corregedoria-Geral do Estado. “Achou-se por bem fazer uma regulamentação administrativa para pacificar o entendimento. Muito mais que pacificar o entendimento, ele dispensou o envio para o juiz corregedor permanente”, diz.
Somente na capital paulista foram celebrados 108 casamentos homossexuais desde 2012, sendo que 22 nos dois primeiros meses deste ano. Vendramin acredita que com a regulamentação o número de casamentos desse tipo deve aumentar. “Existe uma demanda reprimida muito grande”, diz ao citar a falta de informação como principal impedimento às uniões. Segundo ele, muitos casais acreditam que a celebração depende de autorização judicial.
Edição: Fábio Massalli

 Devemos respeitar as escolhas do próximo. Cada pessoa tem o direito de viver de acordo com a sua vontade.

É permitido também a adoação de crianças entre casais homossexuais...
           Vamos pessoal aorenda a viver cada dia mais entre sociedade...aceite as igualdades entre os povos e suas ecolhas...                       

HUMMM...


LEIAM...


PENSE BEM


SÓ PARA REFLETIR...


RACISMO


Nós devemos amar ao próximo independente de sua raça, credulo religioso ou cultura...





Deus criou o mundo com perfeição. 
Enquanto houver o racismo no mundo havera as diferenças sociais e o desamor entre os seres humanos

MENSAGEM

 
 
" O SER HUMANO SE TORNA AQUILO QUE JULGA SER "

As pessoas podem tornar-se aquilo que imaginam ser.
Quem se julga insignificante só poderá ser insignificante.
Quem tem a convicção "Hei de ser um grande personagem" tornar-se-á realmente um grande personagem. Mas nada adianta ter essa convicção se levar uma vida ociosa. É preciso esforçar-se concretamente para alcançar o objetivo.