quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

INTOLERÂNCIA RELIGIOSA



 A intolerância religiosa devia ser considerado crime inafiançável.

Situações que ocorrem no dia a dia do nosso país nos remontam á Idade Média, Uma delas é a intolerância religiosa, que parece ter se perpetuado com o tempo.
    Dados preocupantes foram divulgados pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. As denuncias de Intolerância religiosa recebidas pelo disque 100 cresceram mais de sete vezes em 2012,quando comparada com a estatística de 2011. Embora signifique um aumento de 625%, a própria secretaria destaca que o salto de 15 para 109 casos registrados no período, não representa a real dimensão do problema.
    Ou seja, o buraco é mais embaixo. Há muito mais denúncias que não chegam ao conhecimento do poder público, mesmo existindo a lei 9.459, de l.997, que considera crime a prática de discriminação ou preconceito contra religiões.
    O preconceito é generalizado e ele parte muitas vezes de grupos religiosos que acreditam ter nos seus ensinamentos a ¨verdade absoluta¨, Deus é único, independente do nome que Ele receba, e a verdade nunca foi absoluta.
    A intolerância religiosa é um atraso dos mais vergonhosos e contra eles existem o ecumenismo e o respeito á crença (e até a descrença) de cada um. É inconcebível julgar alguém por aquilo que ele acredita. JÁ É TEMPO DE DARMOS UM BASTA NESSE CRIME,

imagem....


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

OBESIDADE



O que é a Obesidade?
obesidade é caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal no indivíduo. Para o diagnóstico em adultos, o parâmetro utilizado mais comumente é o do índice de massa corporal (IMC).
O IMC é calculado dividindo-se o peso do paciente pela sua altura elevada ao quadrado. É o padrão utilizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que identifica o peso normal quando o resultado do cálculo do IMC está entre 18,5 e 24,9. Veja a tabela completa e descubra o seu IMC aqui. Para ser considerado obeso, o IMC deve estar acima de 30.
O Brasil tem cerca de 18 milhões de pessoas consideradas obesas. Somando o total de indivíduos acima do peso, o montante chega a 70 milhões, o dobro de há três décadas.
A obesidade é fator de risco para uma série de doenças. O obeso tem mais propensão a desenvolver problemas como hipertensão, doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, entre outras.
São muitas as causas da obesidade. O excesso de peso pode estar ligado ao patrimônio genético da pessoa, a maus hábitos alimentares ou, por exemplo, a disfunções endócrinas. Por isso, na hora de pensar em emagrecer, procure um especialista.






Não fique parado...


Sedentarismo? Fuja Dele.

Ninguém tem mais dúvida que a obesidade é uma epidemia mundial e que vem causando sérios dados à saúde de uma forma geral. Vários projetos e programas tentam reduzir estes índices. Mas e você, o que anda fazendo para mudar isso?

Se já está agindo... parabéns, mas se a falta de motivação é maior, que tal tentar começar alguma coisa agora. 
Então mãos à obra e mexa-se, pelo menos 30 minutos por dia. Para dar um empurrãozinho na sua decisão, o site da SBEM dá aqui algumas sugestões. A consultoria é do Dr. Márcio Mancini, membro da diretoria do Departamento de Obesidade da SBEM e ex-presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade. O especialista também participou ativamente do Agita São Paulo, um programa de estímulo à atividade física.

Mudança de Hábito

A primeira grande dica é que pequenas mudanças de hábitos fazem a diferença. Segundo dados do Agita São Paulo existe uma redução de 66% no risco de morte por doenças cardiovasculares apenas com a prática de uma atividade moderada.

Vamos lá... não custa nada tentar.